Esperançar

8 julho 2008

Hoje se sabe que as mamadas noturnas no pico da prolactina ajudam a mãe a estabelecer sua produção de leite, principalmente nos primeiros TRÊS meses. Também percebemos com a experiência das mães à nossa volta e nas nossas listas de discussão virtuais que existem bebês que têm fases (a cada 2 meses) quando acordam muito mais e nossa vida vira um inferno melhorando depois de 10 dias. São os “picos de desenvolvimento” onde os avanços em coordenação motora ou na aquisição de novas capacidades tiram a criança e a mãe da tão querida rotina. Noutros momentos, são apenas os dentes nascendo que causam incômodos. Ainda noutros momentos, são uma comida nova, a troca de cuidador ou a chegada do inverno.
A amamentação depois do primeiro ano e depois de estabelecida a alimentação é pouco descrita e pouco estudada. Por quê esse bebê mama tanto depois de se alimentar e quando sua compreensão do mundo já está tão avançado? Eu me questiono. Meu bebê tem 1 ano e 8 meses, entende muito, demonstra até uma grande memória repetindo movimentos que ele fez uma vez um mês atrás, lembrando de pessoas, lembrando de nomes. No entanto ele mama bastante quando está comigo de dia e várias vezes depois das duas da manhã. Se ele tem boa memória, ele sabe que mamãe está sempre por aqui. Se ele tem uma boa compreensão, ele entende que é hora de dormir. Se ele consegue se comunicar tão bem, ele saberia que pode eventualmente pedir e eu abrir uma exceção. Poderia, não é mesmo, durante um dos famosos picos de desenvolvimento. Isso se eu resolvesse pelo desmame noturno. O método no entanto nunca me convenceu.
Acho que ainda vamos descobrir muita coisa sobre o leite materno em relação a nossa vida moderna. Com isso eu não descarto a possibilidade de faltar algo em nossas vidas e eles recuperarerm isso com a amamentação noturna. Também não descarto a possibilidade dessas necessidades serem supridas pela voz do pai, massagem nas costas, e cantigas sussurradas no meio da noite. O peito é tão mais fácil, no entanto, tão menos racional e tão mais direto.
É como aprender a ler e escrever. Você tem uma vivência direta do mundo e de uma hora para outra insere um código elaborado de símbolos e regras para traduzir esse mundo. Pode estar de acordo com a evolução do homem e dos tempos mas nas trocas sempre deixamos algo de lado. Talvez a única função dessa “amamentação noturna prolongada” que muitas vezes acontece (e não estou falando de casos excepcionais, só do básico: um resmungo, peito, uma sugadinha e volta a dormir de 3 a 4 vezes em 8 horas)… talvez sua única função seja crescermos com a certeza de que pedir, é receber, e pedindo, sempre haverá mais leite materno. É nossa forma de ter e ensinar esperança.

E você, o que acha da amamentação noturna?