Como surgiu a SMAM?

2 agosto 2008

Proposta surgiu de um encontro de organizações não-governamentais, em 1991, em Nova Iorque. A primeira campanha ocorreu em agosto de 1992, em mais de 150 países

Na noite de 14 de fevereiro de 1991, em um pequeno restaurante no centro de Nova Iorque, depois de um encontro de organizações não-governamentais, promovido pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), surgiu a Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (World Alliance for Breastfeeding Action, Waba). A proposta era formar uma rede guarda-chuva para abrigar organizações, indivíduos e até mesmo outras redes que apostam na amamentação e a defendem como direito das crianças e mulheres a ser respeitado por todas as sociedades.

A mega-aliança, forjada em Nova Iorque, reuniu organizações como La Leche League International, International Baby Food Action Network (IBFAN), International Lactation Consultants Associations (ILCA), cientistas importantes como os conhecidos professores Derrick and Patrice Jelliffe, Dr. Michael Latham da Universidade de Cornell (USA), Dr. Felicity Savage King e outros.

EM REDE – Os principais objetivos da aliança, definidos na sua formação são os mesmo de hoje: respeitar a independência e autonomia dos grupos e indivíduos membros da rede; reforçar e não substituir estruturas formais ou informais, já existentes; estimular o desenvolvimento de grupos e redes locais, nacionais e regionais; facilitar a discussão e consenso para campanhas internacionais; e assegurar diversidade cultural e geográfica.

A primeira Semana Mundial da Amamentação ocorreu em agosto de 1992, em mais de 150 países, com o propósito de promover, proteger e apoio o aleitamento materno. No Brasil, a semana foi coordenada pela Waba até 1998. A partir de 1999, a coordenação passou à responsabilidade do Ministério da Saúde.

Comemorada em agosto, a mobilização cresce a cada ano e conta com o apoio das secretarias estaduais e municipais de Saúde, ONGs, organismos internacionais, sociedades científicas, hospitais amigos da criança e rede nacional de bancos de leite humano e outros parceiros.

 Fonte:

http://portal.saude.gov.br/portal/aplicacoes/noticias/noticias_detalhe.cfm?co_seq_noticia=51578

agradecimentos especiais a Luis Tavares