apoio às obstetrizes!

Mulherada!

Está na hora de a gente mostrar que está cansada de ter nosso corpo, nosso parto e o momento do nascimento de nossos filhos roubados…
Cabe a nós decidirmos que exames vamos fazer, e saber o porque…
Cabe a nós decidirmos quando e como iremos engravidar…
Em que posições queremos ficar, a quais procedimentos vamos nos submeter e saber o porque!
Queremos profissionais que não nos julguem pelas nossas atitudes e que pacientemente expliquem o que nos diz respeito.
Que esperem pela nossa hora de parir, o tempo que precisar, com segurança.
Que nos enxerguem como um ser único, que não hajam por conta de um protocolo, de uma rotina…
Que não tenham pressa, que reconheçam a transcendência do nascimento de um ser humano, de uma mulher como mãe, de um homem como pai e de uma família.
Amanhã, sábado (26 de março), vamos apoiar a formação de obstetrizes pela USP, no vão livre do Masp, às 10h.
Esse curso é único no Brasil e está ameaçado de extinção, forma profissionais especializados na assistência à mulher na gravidez, parto e pós-parto, no modelo seguido pelos países (Inglaterra, Canadá, Alemanha, entre muitos outros) onde a mulher é respeitada e onde encontramos as menores taxas de mortalidade materna e infantis.
Natalia Rea Monteiro, doula

Amanhã de manhã, com a participação da MATRICE,
estudantes, mães, gestantes, casais grávidos, mulheres, homens e crianças
ocuparão o vão central do MASP, na avenida Paulista, para manifestar seu apoio ao curso de Obstetrícia da USP Leste, que está sob ameaça de fechamento pela
administração da Universidade de São Paulo.

De acordo com a OMS, a Obstetriz com formação de nível superior representa boa
estratégia para promover atenção adequada ao parto e nascimento. Essa
profissional é capacitada para prestar assistência a gestações e partos de baixo risco e é bastante
solicitada em muitos países desenvolvidos. No Brasil, seu papel é ainda mais relevante, diante das elevadas taxas de morbi-mortalidade materna e neonatal.

Fechar o curso de Obstetrícia é um retrocesso e constitui desrespeito a toda a sociedade, na medida em que representa a manutenção do atual sistema de assistência, que apresenta elevada cobertura hospitalar, porém, resultados perinatais insatisfatórios.

Nesse sentido, a MATRICE, formada por mulheres usuárias do sistema de saúde no Brasil, diante do quadro alarmante de abuso de cesáreas e da assistência
desumanizada ao parto, acredita que a Obstetriz é a profissional adequada para realizar a assistência à gestação, ao parto e ao nascimento de baixo risco. Assim, a formação de Obstetrizes é uma inovação, no caminho da melhoria das condições da assistência obstétrica e neonatal de nosso país.

SERVICO
Manifestação pela manutenção do curso de Obstetrícia da USP Leste
Local: Vão central do MASP, Avenida Paulista, São Paulo-SP
Data: 26 de março, sábado
Horário: 10h da manhã
Contatos: Ana Cristina Duarte (11) 9806-7090 / Deborah Delage (11) 9201-5245

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: