E não é que achamos…

…alguém que disse alguma coisa sensata?!

Ainda que não seja muita novidade PRA GENTE AQUI, olhem essa notícia que já em 2003 falava sobre uma “brilhante” conclusão dos pediatras em um Congresso, garimpada por uma amiga querida:

Pediatras querem deixar de ser os vilões do desmame precoce

Os médicos, e não as mães, são os maiores responsáveis pela interrupção precoce da amamentação exclusiva no Brasil. O diagnóstico é deles (…)
Segundo Hugo Issler, pediatra da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, os médicos são os maiores responsáveis pela introdução de fórmulas (leite em pó) para complementar a amamentação. “Nunca encontrei, em 20 anos de trabalho, um caso em que precisasse complementar (o leite materno)”, disse ele. (…)
A recomendação é que, diante de um bebê que não ganha peso ao ser amamentado, o pediatra esgote todas as possibilidades: faça exames tanto na mãe como no bebê para investigar se há infecções, disfunções hormonais ou até síndromes genéticas e metabólicas.
Além disso, ações importantes como o contato do pediatra com a mãe antes do nascimento da criança para orientá-la sobre o assunto e o apoio de grupos de mães também evitam que a amamentação seja interrompida sem necessidade. (…)
Os pediatras precisam mais que tudo ouvir a mãe para entender o que está atrapalhando a amamentação, antes de sair receitando leite em pó, explicou Keiko Miyasaki Teruya, co-diretora do Centro de Lactação de Santos. Fatores como o estresse ou até a depressão pós-parto são difíceis de detectar e podem atrapalhar a produção de leite. (…)
Teruya atribuiu os problemas também ao número insuficiente de horas dedicadas ao estudo da amamentação no currículo de formação dos pediatras brasileiros. (…)
O consenso foi que a amamentação é um direito, e não uma obrigação. Mas os benefícios mais do que comprovados do leite materno valem todo o sacrifício para esclarecer e incentivar as mães a amamentar.

Olhem a notícia reproduzida inteira aqui no blog, vale muito a pena ler tudo, é um resumo bem feito do atual estado das coisas! Já o link original está aqui.

E vocês, o que pensam disso? Alguém aqui já topou com um pediatra despreparado, ou todas deram “sorte” com seus médicos? De 2003 pra cá, melhorou o atendimento dos nossos pediatras, depois dessa reflexão feita por eles?…
Roselene, querida, obrigada pelo link!!

Anúncios

6 Responses to E não é que achamos…

  1. Marina disse:

    Adorei ler sobre isso!

    Tive experiência péssima com dois pediatras que passei em 2006…
    Meu filho não ganhava peso e depois de poucas tentativas e o pediatra ter diagnosticado a baixa produção de leite, tive que ouvir: aceite a natureza, você não tem leite… que bom que existe a nestlé… E iniciei a complementação com fórmula.

    Com apenas 3 meses, meu filho não queria mais mamar no peito… Me senti péssima e descobri que estava com depressão pós parto… Foi uma época triste, mas que encontrei anjos. Não sabia que existia grupos de ajuda em amamentação, não encontrei a ajuda necessária na maternidade quando procurei por telefone e foi no orkut, no Grupo virtual de amamentação que descobri a saída. Foram dias difíceis, mas cheios de aprendizagem e descobertas. Com muita ajuda consegui reverter a situação.

    Como gostaria de ter conhecido vocês antes!
    Mas estou aqui em busca de várias informações para o próximo baby que está em fase de planejamento!!!

    Parabéns pelo trablho lindo de vocês!

  2. Ana Basaglia disse:

    marina, isso é o pior mesmo… pq a gente “corre” pros pediatras, e eles simplesmente não sabem nos orientar adequadamente… triste, né?…
    sabe q eu ouvi há uns dias atrás, da boca de uma pediatra, sobre seu filho de 5 meses e meio?
    “eu não vejo problema algum em complementar nessa idade”… e enfiou uma mamadeira goela abaixo do bb. EU QUIS MORRER!!!
    o q ela faz com seu próprio filho é escolha dela, mas como essa moça irá orientar seus pacientes???
    obrigada pelo elogio, e se vc for de sp, apareça em um de nossos encontros, sem compromisso! vc vai gostar do “ambiente”!

  3. Marina disse:

    Apareço sim!!!! Sou de São Paulo e será um prazer enorme!
    Mas mesmo com um bebezão de 2 anos?rs

    Ficarei atenta aos próximos encontros!!!! Com certeza irei amar!!!!

  4. Ana Basaglia disse:

    marina, bebê de 2 anos É BEBÊ!!!
    vc vai se surpreender nos encontros de sexta-feira com a idade dos bbs de lá (ou nos encontros temáticos tb, fique sempre à vontade pra aparecer qdo vc quiser)!
    qdo a gente está mais bem informada, o período de amamentação acaba aumentando naturalmente. porém, cada uma sabe de si, e qual o melhor “prazo” para si…
    o convite é para q vc se aproxime de pessoas q acreditam na amamentação, e procuramos proporcionar um espaço informal para troca de idéias, informações, suporte…
    apareça sem receios! vai ser um prazer!

  5. Larissa disse:

    Bom meninas e mulheres eu me senti fracassada lendo os artigos desse site…meu sonho sempre foi amamentar exclusivamente até os seis meses mais minha pquerruxa não ganhava peso…fizemos (eu e os dois pediatras da Aninha)de tudo…exames até ocitocina em bombinha,mas ela ganhava pouco peso…em uma semana ela ganhava na outra estagnava não ganhava mas não perdia,as unicas hora que eu não dou complemento é quando eu acordo e antes de dormir…fico triste pois ninguem me apoiou,lógico que a saude e o bem estar da minha filha vem em primeiro lugar e logo atras me orgulho…me sinto frustrada…o que me deixa mais tranquila é qiue ela ama meu peito não largou até agora e depois que eu parei de ligar pra quantidade de leite ,meus peitos voltaram a encher….mas não o suficiente pois de hora em hora ela chora de fome…

    Bjus desculpem o livro…

    Larissa

  6. Ana Basaglia disse:

    olha, larissa, existem muitas “táticas” pra driblar essa preocupação q temos com o ganho de peso de nossos bebês (a principal, eu diria neste momento, seria estar acompanhada por profissionais de saúde q não são tão rigorosos com o ritmo numérico do ganho de peso, preferindo avaliar por aspectos mais gerais).

    o site confirma o que a gente tem percebido na prática: muitos médicos (muitos mesmo) estão mal preparados para acompanhar a mãe e seu bebê no quesito amamentação, seja pela pouca prática, seja pela quantidade insuficiente de informação vista nas faculdades, e até mesmo pela campanha de tantos anos q pregava q “moderno” e prático mesmo era o leite artifical.
    eu já ouvi da minha própria cunhada, q é médica pediatra, a afirmação q ela não se incomodava em complementar com leite de vaca seu bebê de 5 meses e meio de idade, visto q ela considerava suficiente ele ter mamado até aquela idade só no peito…
    quero dizer, se uma médica pediatra acha q não precisa “se preocupar” e tudo bem dar leite de vaca a seu PRÓPRIO filho, como vc acha q ela vai orientar seus pacientes???

    por outro lado, essa questão de ganhar peso pode ser relativa, muitos médicos olham pra tabela de crescimento com alguma ressalva: hoje em dia, admite-se q essas tabelas foram estabelecidas com critérios DIFERENTES dos critérios regionais a q nossos bbs estão sujeitos. a população brasileira é diversificada, e pode ser problemático querer q um bb cresça na mm proporção q um bb norte-americano, por exemplo. nem precisa ir tão longe: vc acha q o crescimento de um bb do norte do brasil, de ascendência indígena (sem preconceito, hein?!) pode ser comparado com o crescimento de um bb do sul, de ascendência européia? [vou procurar um artigo q fala sobre isso, depois posto aqui]*

    se sua filha está crescendo, suja as fraldas com frequência, dorme relativamente, está se desenvolvendo normalmente, não há motivo para sobressaltos com relação à sua curva de crescimento. querer submetê-la a um único padrão pode ser complicado mesmo.

    relaxe!
    nem todo peito se enche de leite e transborda a olhos vistos (o meu não, por exemplo), mas nem por isso significa q a mulher não tem leite!
    continue oferecendo seu seio, e tente tirar o complemento.
    o melhor q vc pode oferecer à sua filha sempre será seu leite, nunca tenha dúvida disso!

    boa sorte, e volte aqui para nos contar como as coisas estão indo!

    ________________________________________

    *http://saude.abril.uol.com.br/edicoes/0279/familia/conteudo_187707.shtml

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: