Reunião de Volta ao Trabalho – como foi?

24 fevereiro 2008

Nossa quarta reunião de Volta ao Trabalho que aconteceu ontem foi cheia de novidades incluindo bebês mamando no copinho e mães tirando leite com uma bomba elétrica dupla. (leia mais aqui)

Anúncios

Voltar a trabalhar, e agora?

21 fevereiro 2008
img_4024.jpg
Foto do nosso último encontro de volta ao trabalho
TUDO QUE O BEBÊ PRECISA É DO SEU LEITE ATÉ OS 6 MESES DE IDADE”

Somos bombardeadas por essa informação depois que nossos bebês nascem. Mas de repente o bebê faz 4 meses e nós, mulheres que lutamos tanto por espaço no mercado de trabalho, temos que voltar a trabalhar. E a amamentação?

Meu filho precisa do meu leite ou não precisa mais?

Nós da Matrice apoiamos as mães neste momento!

Veja como são nossos encontros (com fotos) na nossa página de eventos!!

Contamos com a sua presença. Venha compartilhar conosco a sua experiência !!

Onde: Rua João de Souza Dias, 281 – Campo Belo – Espaço Nascer natural

Horas: 15horas e 30 minutos

Telefone para contato: 11 96223737 – Fabíola


Ocitocina para todos

18 fevereiro 2008

Um vídeo cuja delicadeza nos enche de leite.

Assistam vocês também!!!!


E não é que achamos…

2 fevereiro 2008

…alguém que disse alguma coisa sensata?!

Ainda que não seja muita novidade PRA GENTE AQUI, olhem essa notícia que já em 2003 falava sobre uma “brilhante” conclusão dos pediatras em um Congresso, garimpada por uma amiga querida:

Pediatras querem deixar de ser os vilões do desmame precoce

Os médicos, e não as mães, são os maiores responsáveis pela interrupção precoce da amamentação exclusiva no Brasil. O diagnóstico é deles (…)
Segundo Hugo Issler, pediatra da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, os médicos são os maiores responsáveis pela introdução de fórmulas (leite em pó) para complementar a amamentação. “Nunca encontrei, em 20 anos de trabalho, um caso em que precisasse complementar (o leite materno)”, disse ele. (…)
A recomendação é que, diante de um bebê que não ganha peso ao ser amamentado, o pediatra esgote todas as possibilidades: faça exames tanto na mãe como no bebê para investigar se há infecções, disfunções hormonais ou até síndromes genéticas e metabólicas.
Além disso, ações importantes como o contato do pediatra com a mãe antes do nascimento da criança para orientá-la sobre o assunto e o apoio de grupos de mães também evitam que a amamentação seja interrompida sem necessidade. (…)
Os pediatras precisam mais que tudo ouvir a mãe para entender o que está atrapalhando a amamentação, antes de sair receitando leite em pó, explicou Keiko Miyasaki Teruya, co-diretora do Centro de Lactação de Santos. Fatores como o estresse ou até a depressão pós-parto são difíceis de detectar e podem atrapalhar a produção de leite. (…)
Teruya atribuiu os problemas também ao número insuficiente de horas dedicadas ao estudo da amamentação no currículo de formação dos pediatras brasileiros. (…)
O consenso foi que a amamentação é um direito, e não uma obrigação. Mas os benefícios mais do que comprovados do leite materno valem todo o sacrifício para esclarecer e incentivar as mães a amamentar.

Olhem a notícia reproduzida inteira aqui no blog, vale muito a pena ler tudo, é um resumo bem feito do atual estado das coisas! Já o link original está aqui.

E vocês, o que pensam disso? Alguém aqui já topou com um pediatra despreparado, ou todas deram “sorte” com seus médicos? De 2003 pra cá, melhorou o atendimento dos nossos pediatras, depois dessa reflexão feita por eles?…
Roselene, querida, obrigada pelo link!!