NBCAL – Para fazer valer a lei

29 novembro 2007

nbcal1.jpg 

 

Foto tirada no dia da gravação do video

Especialmente amanhã, dia 30 de novembro, apresentaremos na reunião da Matrice, das 14h30 às 16h30 (Rua Bartolomeu de Zunega, 44, Pinheiros, São Paulo), o filme sobre a NBCAL que participamos da filmagem em maio deste ano.

O objetivo do filme é conscientizar as pessoas sobre a importância da amamentação materna e precavê-las contra o marketing abusivo das indústrias produtoras de leite. Sabemos que o aleitamento materno previne uma série de doenças infecciosas e a desnutrição, além de representar segurança alimentar e desenvolver o vínculo mãe-bebê.

NBCAL – Para fazer valer a lei

Quais as vantagens da amamentação em relação ao aleitamento artificial? O marketing irresponsável das indústrias dos substitutos do leite materno pode influenciar o desmame precoce?

Mães, especialistas e membros da rede IBFAN discutem questões como essas e falam de como a NBCAL (Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes, Bicos, Chupetas e Mamadeiras) impõe limites às propagandas.

Como a sociedade civil se organiza para monitorar essa lei através de uma ONG internacional, e de que maneira o governo brasileiro atua no cumprimento dessa fiscalização, são outros tópicos discutidos no filme.

Roteiro e direção: Natalia Rea Monteiro

Depois abriremos para discussão e dúvidas.

Aguardamos todas!!!

Anúncios

Lua-de-Leite

23 novembro 2007

kalu.jpg

Com um relato inspirador, Kalu, mãe e jornalista, nos descreve sua lua-de-leite com Miguel.

Passem em depoimentos e fiquem tão inspiradas quanto a Kalu. Boa leitura!


Fim de ano

19 novembro 2007

christmas02.gif

Chegamos em mais um fim de ano

E como virou tradição, os bazeres de final de ano se espalham por ai.

Foi pensando nisso que nós, da Matrice, resolvemos fazer o nosso bazar.

Então se vc  quer participar (vendendo ou trazendo algum produto) para o bazar, basta se inscrever.

Estamos cobrando uma taxa simbólica de 15 reais para cobrir despesas de limpeza e organização.

O bazar será realizado dia 09 de Dezembro das 10 horas às 19 horas, na Aclimação.

Qualquer dúvida escreva no email da Matrice, grupomatrice@gmail.com ou ligue 11 96223737.

 *****************************************************************************

Não esqueçam dia 20 de novembro, mais conhecido como amanha,encerra o prazo para mandar as fotos do concurso do calendário de 2008. Mandem para nosso email: grupomatrice@gmail.com


Em Piracicaba

18 novembro 2007

raquel.jpg

Raquel, uma das integrantes do grupo Mama,  e seu filho Elias
Todos nós sabemos o quanto o apoio é importante na amamentação. Os grupos de apoio de mães pode ajudar muito neste processo.
Algumas mães maternas de Piracicaba fizeram a Matrice de lá. Toda quinta -feira  à tarde elas se reunem.
Esta semana elas sairam no jornal local de Piracicaba, e nós postamos aqui com muita satisfação e alegria.
Na sua cidade também tem grupo de ajuda? Tem, mande noticias. Não tem? Quer montar um? Mande um email para a Matrice quem sabe podemos ajuda-las.
Em baixo colocamos a matéria completa.

Grupo Mama

Grupo de mães se reúne para discutir dificuldades típicas do período de amamentação

FELIPE RODRIGUES

Um grupo de mães em Piracicaba resolveu compartilhar algumas das dificuldades, expectativas e sucessos durante o período de amamentação. O Grupo Mama, formado por mães voluntárias, se reúne todas as quintas-feiras no Saraswati Yoga para discutir problemas em comum e dividir experiências durante o período. Embora seja um ato natural, a amamentação é um comportamento que precisa ser aprendido, explica Juliana Chiarinelli Barreira, coordenadora e mãe de Pedro Ramos da Cruz, de um anos e um mês.

“Não somos profissionais no assunto, somos somente mães que acreditam na importância do aleitamento materno e da ajuda mútua”, relata Rachel Honig, mãe do pequeno Elias Honig, de um ano e dez meses. O objetivo é trocar experiências vividas, para que elas se fortaleçam e se informem sobre outras histórias, outras formas de agir. “Queremos enfrentar e superar todas as fases, pois a amamentação é um constante aprendizado, cheio de desafios”, completa.

Entre as dificuldades vividas pela mãe, elas destacam: o fato de que nos primeiros dias, quando o bebê praticamente mama o dia inteiro e a mãe ainda está um pouco vulnerável, exigindo completa disponibilidade e doação; a volta ao trabalho em geral quando o bebê tem em torno de quatro ou cinco meses; a retirada e armazenamento do leite materno para ser dado ao bebê na ausência da mãe; a amamentação exclusiva nos primeiros seis meses; e a amamentação prolongada, após o segundo ano.

Durante os encontros, não há aulas, nem palestras. Os assuntos surgem de acordo com as necessidades de cada momento. As mães começam se identificando e apresentando seu problema na amamentação. Os problemas mais freqüentes naquela reunião são os que serão abordados. “O roteiro que temos é o de nos sentarmos em círculo e ao começar a reunião cada pessoa se apresentar e já colocar a razão da sua presença ali. A partir daí começamos a discutir sobre esses assuntos”, assinala Rachel.

As reuniões sempre são “de mãe para mãe”, mas sempre com respaldo técnico. “Seguimos as orientações da Organização Mundial da Saúde, incentivando a amamentação exclusiva nos primeiros seis meses de vida, a amamentação até os dois anos ou mais, evitando o uso de mamadeiras e chupetas”, informa Juliana – sempre acompanhadas dos bebês. Renata Kantovitz participou pela primeira vez do grupo na semana passada, acompanhada do filho Leonardo, de quatro meses. “Legal porque aqui a gente pode relatar algumas das coisas que nos acontecem e saber se é mesmo normal ou não. A insegurança da mãe com o filho recém-nascido as vezes é muito grande e isso nos ajuda bastante”, relata.

Benefícios

Entre algumas vantagens do aleitamento materno, o leite contém proporções ideais de água, proteínas, gorduras, vitaminas, açucares e sal necessários aos primeiros seis meses de vida, além dos anticorpos que funcionam como vacinas naturais, protegendo o bebê até que ele forme o seu próprio sistema imunológico. Segundo uma estimativa do Unicef “se todos os bebês fossem exclusivamente amamentados durante os seis primeiros meses de vida e continuassem a mamar até os dois anos de idade, quase 1,3 milhão de crianças poderiam ser salvas”.

Serviço

Reuniões de mãe para mãe acontecem às quintas, das 15h30 às 17h30, no Centro Saraswati Yoga, na rua Samuel Neves, 290. Gratuito. Informações pelo telefone 9608-7275 ou pelo e-mail grupomama@terra.com.br


MULHERES PROTESTAM E AMAMENTAM BEBÊS EM FRENTE AO PARLAMENTO

16 novembro 2007

pict_20051011pht01294.jpg

 Existe uma norma de comercialização de bicos artificiais (chupetas e mamadeiras), formulas de leite, e alimentos infantis no geral. Vários países tem essa norma em seu ordenamento jurídico.

O Brasil também tem a sua norma, e lutamos para que ela seja cumprida.

As italianas estão lutando por essa norma. Ola que legal esta notícia.

ROMA, 14 NOV (ANSA) – Cerca de 50 mulheres amamentaram, no dia 14 de novembro, seus bebês em uma praça de Roma, em frente ao parlamento italiano, para reivindicar o direito à amamentação materna.
    Sem se preocuparem com a chuva que caía, as mães -acompanhadas por representantes de associações de famílias, pediatras e ginecologistas que defendem a defesa da amamentação materna- colocaram lonas impermeáveis no chão, se sentaram e deram o peito a seus filhos em público.
    Pela manhã, as mães tinham apresentado seus pedidos à presidência da Câmara dos Deputados, enquanto de tarde pretendem se reunir com a ministra de Saúde, Lívia Turco.
    Segundo os organizadores da manifestação, o maior inimigo da amamentação materna são “as empresas que comercializam o leite artificial, mas também as mamadeiras”.
    Por isso pedem que o governo adapte as leis européias sobre a comercialização desses substitutos do leite materno, além do Código Internacional escrito pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em 1981.
    De fato, as propostas são simples: “Afirmar o caráter singular do leite materno como alimento para os bebês nos primeiros seis meses de vida, e proibir a publicidade dos leites artificiais”, explicou Adriano Cattaneo, epidemiologista e membro da associação IbfanItalia.
    “É preciso defender também que as mulheres possam amamentar em lugares públicos e nos locais de trabalho”, acrescentou Donatella Poretti, deputada do partido de esquerda Rosa nel Pugno, que quando foi eleita lutou para poder dar de mamar a sua filha no parlamento. (ANSA)


Ai, ai… mais pesquisa aí!!!

11 novembro 2007

Um grupo de cientistas liderado por uma equipe do Instituto de Psiquiatria do King’s College London resolveu investigar como a constituição das crianças interage com o leite materno a ponto de afetar sua inteligência e chegaram à seguinte conclusão:

“As crianças amamentadas obtiveram uma pontuação em média 3 pontos mais alta que a população no teste de Q.I., enquanto que aquelas que não receberam leite materno ficaram com 3 pontos a menos”. Em outras palavras, o aleitamento materno levou ao ganho de alguns pontos no Q.I..

Muita gente não precisa desse “estímulo” para amamentar, mas é sempre interessante reforçar que amamentar só traz benefícios, comprovadamente…

Leia mais aqui! E você, amamenta por quê?

ps: o evento no MAM foi uma delícia, em breve publicaremos algumas fotos!


Arte para bebês de todas as idades!

7 novembro 2007

convite-babyart-1.jpg

Você gostou do nosso evento no dia das crianças e queria algo semelhante de novo? Você se atrapalhou e acabou não indo? Você nem sabia, mas gostaria de ter ido? Você não sabe de nada, mas quer saber que conversa é essa?

Leia mais aqui!!!! Não vai perder, hein?!